Segunda-feira, 22 de Outubro de 2007

História de um Turista na Covilhã

Não sei se alguma vez conseguiram descortinar um Turista estrangeiro,  na nossa “Porcalhota” Covilhã? Por sorte ou azar já tenho visto alguns ultimamente, mas sempre perdidos e até estupefactos com a má informação turística existente na nossa cidade.

Por exemplo vejamos o funcionamento do posto de Turismo da RTSE, fecha várias vezes ao ano e durante os fins-de-semana, a informação é tanta e sobre tanta coisa que um turista não sabe muitas vezes o que fazer (parecem as 31 experiencias apresentadas pela Turistrela). As informações sobre os monumentos são nenhumas ou inexistentes – os monumentos também são poucos, é verdade.

Depois temos uma oferta Hoteleira muito diversificada de 2** e 3*** estrelas (acham?), caracterizadas como de 4**** em algumas agências e placares da própria empresa. Deixo aqui um desafio tentem descobrir qual o placar publicitário de um dos Hotéis da cidade que tem uma quarta estrela gravada, é maior que as outras. Outro placar que informa de um valor que na realidade não se pratica.

Em conclusão só para dizer que a nossa querida “Porcalhota” Covilhã, infelizmente passados estes anos todos continua a viver à sombra do Turismo de neve, em que todo o Turista sabe o caminho a seguir: Serra / Torre.

Antes da realização do estudo PETUR, descobri um estudo feito por uns alunos de Turismo, (não vou dizer o nome nem mencionar a Faculdade / Instituto por motivos óbvios), que caracterizaram a nossa “Porcalhota” ao nível da Gestão e Planeamento do Turismo na cidade. A metodologia utilizada foi a construção de uma tabela vertical onde inseriram no eixo dos xx’s as freguesias, e no eixo dos yy’s inseriram domínios como:

·         Recursos Naturais;

·         Comércio / Serviços;  

·         Vias de acesso, Transportes, Deslocações;

·         Divertimentos;

·         Tempos livres e desportos;

·         Alojamento;

·         Restauração.

Depois de uma análise por freguesias analisaram o concelho no geral e chegaram a esta conclusão:

Fazendo uma análise vertical da tabela que nos serviu de base no estudo do concelho, nos mais diferentes domínios de oferta, podemos concluir, que ao nível dos recursos naturais, o concelho apresenta um número significativo, visto a maior parte das freguesias se encontram nas faldas da Serra da Estrela, apresentando todas cursos de água e sítios naturais de interesse. Donde podemos destacar as seguintes freguesias: Aldeia do Carvalho, Cortes do Meio, Erada, Sarzedo, Paul, Unhais da Serra, Verdelhos. Porque apresentam um potencial muito significativo não só por estarem inseridas no Parque Natural da Serra da Estrela, mas também, porque a sua geologia, fauna e flora são de elevada importância para o ecossistema da região.

Em relação ao domínio do comércio, o concelho apresenta uma quantidade significativa de oferta, sobressaindo as freguesias que constituem a cidade: Conceição, Santa Maria, São Martinho e São Pedro, são as freguesias que apresentam um valor muito significativo neste domínio. Em relação aos serviços, o concelho tem uma oferta significativa, onde é de realçar a existência de uma percentagem de 2,8 farmácias por 10 000 habitantes, uma boa rede de extensões de centros de saúde por todo o concelho, e a existência do novo hospital (Hospital Cova da Beira) instalado na freguesia da Boidobra. Os demais serviços são todos significativos. Em relação à indústria, a presença é significativa por todo o concelho com maior existência nas freguesias que formam a cintura urbana da cidade e as freguesias: Tortosendo e Canhoso, devido à existência nestas freguesias dos parques industriais da cidade. Não fosse este concelho noutros tempos considerado, ao nível industrial do mais importante do país.

Quanto às vias de acesso e transportes, o concelho não está bem servido, sobretudo ao nível da rede rodoviária e dos transportes públicos. Ao nível dos transportes públicos analisamos que as freguesias que se encontram geograficamente mais distantes da cidade e condicionadas pela própria geografia, os transportes existem, mas não em número significativo, havendo mesmo carreiras que só se realizam apenas seis vezes ao dia. São exemplo as freguesias: Cortes do Meio, Casegas, Sobral de São Miguel, São Jorge da Beira, Paul, Ourondo.

Analisando o domínio dos divertimentos, o concelho demonstra uma existência significativa, principalmente nas freguesias que compõem a cintura urbana, mas também nas restantes freguesias, tanto ao nível de Bares como Discotecas. Ao nível do património cultural a existência de diversas casas brasonadas e igrejas construídas segundo vários estilos de arte e museus, são significativos de onde se destaca a Freguesia de Santa Maria. Dos museus devemos realçar o Museu dos Lanifícios, que esta inserido na Universidade da Beira Interior, na freguesia de São Martinho.

Os tempos livres e desportos no concelho existem mas não em número significativo, podemos realçar a existência significativa de piscinas naturais, porque, quase toda a totalidade das freguesias possui cursos de água. São passíveis de ser realçadas neste ponto as seguintes freguesias: Paul, Cortes do Meio, Ourondo, Dominguiso, Barco, Boidobra, Vila do Carvalho, Verdelhos e Unhais da Serra. Em relação ao desporto é de realçar o complexo desportivo da Covilhã existente na freguesia da Boidobra. Outro ponto de interesse neste domínio é as caminhadas e os desportos radicais de montanha na serra, sendo as freguesias pertencentes ao Parque Natural as que possuem maior oferta.

No domínio da oferta do alojamento, este é significativo nas suas diversas formas menos ao nível do turismo rural apenas com a existência de quatro casas de este género. Contudo o alojamento encontra-se mais concentrado nas freguesias da cidade e nas mais próximas, Boidobra, Dominguiso. Com maior oferta devemos salientar a pequena freguesia de Cortes do Meio, que devido á existência de uma pousada, pensões, um hotel e as moradias turísticas, tem uma oferta total de 160 quartos e 340 camas. Quanto à restauração e seus derivados o concelho tem uma presença significativa por todo o concelho mas como não podia de deixar de ser, este é mais significativo nas freguesias da cidade.

CONCLUSÃO

...Através da análise horizontal da nossa tabela concluímos que:

O concelho em estudo apresenta um grande potencial ao nível dos recursos naturais, devido à sua localização muito perto do maciço central da Serra da Estrela, abrangendo mesmo, algumas zonas do Parque Natural da Serra da Estrela.

Outro factor que apresenta grande potencial é a restauração, facto que é evidente pela diversa gastronomia particular desta região.

Além destes, o comércio/serviços, também é um factor que não podemos deixar de realçar, nomeadamente, no âmbito do comércio e da indústria diversa, resultado de uma aposta feita por Marques de Pombal na industrialização deste concelho.

Como já referimos, este trabalho também nos serve para criticar os aspectos que achamos negativos, não fazendo a crítica pela crítica, mas, tentando alertar as entidades competentes para algumas falhas que devem ser tidas em conta.

Sendo este concelho muito rico ao nível de recursos naturais e da restauração, facto que trás muita gente a este concelho, denotamos contudo, que as infra-estruturas ao nível das vias de acesso, alojamento, divertimentos e tempos livres são escassas. O que coloca em causa a qualidade dos recursos com mais potencial, aquando de grandes afluxos de turistas ou visitantes ao concelho.

Se a qualidade destes recursos menos positivos fosse melhorada poderia o concelho ter um fluxo maior de turistas em vez de visitantes.

Fazendo uma análise mais pormenorizada, ao nível do alojamento verificamos que, apenas existem quatro casas de turismo rural, facto que deve ser realçado de forma negativa, uma vez que o concelho, como já referimos, apresenta um bom potencial ao nível dos recursos naturais.

Concluindo, achamos que o turismo no concelho deve estar direccionado para um tipo de turismo ligado à natureza, apostando nos recursos com maior potencial que este concelho apresenta, mas não os massificando. Seria um factor de desenvolvimento sustentado para a região visto que este tipo de turismo acarreta um maior investimento, aumentando o número de importações ao nível do concelho. O que leva a um aumento económico da região.” (Ano de 2004 / 2005)

 

As entidades competentes devem ouvir estes Técnicos Superiores de Turismo, acho que sabem alguma coisa.

publicado por Turista ou Não? às 16:25
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De ZENDO_55 a 23 de Outubro de 2007 às 00:05
COVILHÃ PORCALHOTA ?!!
CIDADE COM DUAS RIBEIRAS E FARTA DE ÁGUAS !
O ARTISTA DESTA PROSA DEVE TER VINDO DA AMADORA QUE NEM UM RIBEIROZINHO TEM !

Comentar post

»Mais sobre os Turistas ou Não?

»pesquisar

 

»Dezembro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

»Posts recentes

» Mudança de domínio

» História de um Turista na...

» Obrigado Máfia da Cova

» Pequenas Recordações

» Ínicio

»Arquivos

» Dezembro 2007

» Outubro 2007

»tags

» todas as tags

»Links

blogs SAPO

»subscrever feeds